terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Devemos ter os olhos bem abertos...

...e perceber de uma maneira muito simples o que pode causar a tal heterogeneidade no queijo, os tão afamados e diversos olhos, o encruado, o queijo com "coração", e tantas outras coisas para evitar mais perdas na produção do QSE e conseguirmos uma maior homogeneidade no padrão de qualidade que se quer de excelência.
Atenção que estas imagens são de leites de apenas um produtor. Agora é só percebermos o que por aí temos e a falta que afinal ainda podemos fazer neste setor que é vital para a região e para o Pais. A propósito o cardo usado nestes ensaios é nosso, não podia ser melhor. Mas como costumo dizer, o cardo só trabalha aquilo que o leite deixar...e nalguns destes casos, não faz nada!
Mas atenção! haverá mercados  e pessoas que, eventualmente, apreciem alguns destes padrões, porque pode ser uma questão de gostos (likes) mas neste caso é colocar o produto onde ele pode ser valorizado, desde que não se coloque em causa a saúde pública. Se gostássemos todos do mesmo isso seria muito aborrecido.
Estamos a trabalhar na ESAV, em colaboração com empresas especializadas no setor alimentar, laboratorial e informático, em métodos expeditos que possam ajudar os produtores a fazerem logo uma bateria de análises na ordenha, nos lotes, no tanque e que ao fim de algumas horas possam perceber que queijo têm na câmara a curar! Isto não é uma utopia...é Tecnologia na rastreabilidade e Valorização da qualidade Alimentar, "Food in Tech" e está para breve....muito breve!



segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

sábado, 17 de fevereiro de 2018

Uma Poesia Natural...que pode MOVEr uma inspiração....ECHOlógica....









"O mel é um produto natural de excelência que resulta da actividade diligente, laboriosa e sempre admirável do maravilhoso e enigmático insecto social que é a abelha melífera. O mel é um alimento ancestral, único e indiscutivelmente saudável. ´´E no interior obscruto da colónia que as abelhas preparam a magia, condensando em cada gota de mel as essências e sabores da Natureza. Ao consumir mel com regularidade, para além dos notáveis benefícios para a saúde, está também a contribuir para a manutenção e desenvolvimento de uma atividade ecológica milenas, a apicultura."

Este é um texto desenhado pelo Brandão, um criador de pormenores, que irá servir de inspiração para que no projeto FORESTORE possamos vir a incluir as abelhas como mais uma das vertentes a explorar, no melhor dos sentidos. Olhar a estrutura social da comunidade apícola como mote para uma unidade produtiva, no qual vale mais o todo que as partes individualmente. A eficiência da arquitetura dos favos, a dinâmica do arrefecimento da colmeia, o conceito de design que associa a estética com a funcionalidade, enfim, um exemplo para a nossa espécie vindo de organismos aparentemente tão simples e para o sucesso da nossa comunidade enquanto um todo, ou mesmo para um empresa.
A peça do Brandão é simplesmente uma das coisas mais belas que me foi oferecida. O rótulo foi adicionado ontem e por isso hoje a referência...Parabéns

O Brandão...Calha que nem Ginjas....

...num blogue deste tipo. Os meus Alunos de Genética não conhecem o Brandão mas devem-lhe estar muito gratos. Aliás, nenhum dos meus alunos conhece o Brandão, mas um dia apresento-vos. Foi nos de mais de 20 anos de ensino superior, talvez aquele que mais me surpreendeu,...pelo pormenor e pela tal "Box". As coisas que falávamos há mais de 10 anos e hoje caem que nem ginjas. O Brandão merecerá em breve uma crónica dedicada especialmente a ele. Hoje é só para marcar ...esta criação que vem quase a propósito do dia dos namorados ...mas é "wild Cherry"....Molto bene! Não se preocupem com o nome porque nem o Brandão é "NINJA", nem esta preciosidade cria GOTTA...




Por Aqui se Podia imaginar o Papel Relevante que a ESAV podia ter...como um Centro de Investigação de Referência no QSE....

...Estas são apenas algumas imagens de ontem que mostram a importância que a ESAV pode e deve ter na região, junto dos produtores do Queijo Serra da Estrela. Outras áreas haverá que poderá ter igual ou ainda maior importância, mas por hoje quero falar desta! 
Estas análises foram testemunhadas ao vivo por um produtor que poderá atestar da veracidade das mesmas. Mas para além dos meios tecnológicos queremos desenvolver métodos expeditos nos quais os produtores possam todos os dias se necessário fazerem as suas análises junto da ordenha e em queijaria para monitorizarem os seus procedimentos, sejam muito grandes, mas especialmente os pequenos e isso é possível! O Eng. Pinto mostrou que isso é relativamente fácil na recolha do leite. Eu poderei ajudar alguma coisa no que se refere ao processo simples de coagulação. O Jorge Oliveira e a sua equipa ao nível das células somáticas. Depois em laboratório a Luísa e o Rui Coutinho confirmam todos os dados para validarmos todos estes procedimentos. Assim, sem grandes meios mas com um enorme vontade e disponibilidade a ESAV provava-se como Centro de Referência, quiçá para um dia vir o Primeiro-Ministro, como foi ainda ontem ao Centro de Montanha com os quais tenho o privilégio de colaborar, imaginem com o cardo, através da equipa da Prof. Doutora Isabel Ferreira, e aos quais reconheço imenso mérito. Mas alguém tem que ir ganhar a confiança junto das empresas, outros a trabalharem nos métodos, outros na realização das análises, que são basicamente os mesmos que fazem tudo isto para além de todo o trabalho do dia-a-dia das aulas e burocracias. Afinal não somos assim tantos e apesar de não nos faltar a vontade falta-nos o tempo. Temos que fazer incluir os alunos e saber dar-lhes algo em troca...Capacidade de trabalho, responsabilidade e... abrir portas para o futuro!
O cardo aparece no fim depois de assegurados todos os outros fatores, mas temos que ir trabalhando já no imediato, como o estamos a fazer, mais uma vez com os alunos....CYNATURA


















sexta-feira, 16 de fevereiro de 2018

Como Devíamos Repensar os Maiores de 23 anos....

A ESAV tem que pensar numa estratégia para atrair novos candidatos e para promover que os cá estão a terminem o mais breve possível para propalarem o nome da ESAV aos quatro ventos.

a) Contactar um a um os alunos que eventualmente já tenham desistido ou com propinas em atraso,  para avaliarmos as necessidades específicas de cada aluno e encontrarmos soluções viáveis e com objetivos definidos;

b) Aproveitar esta oportunidade que o governo está a tentar fazer para promover o ensino politécnico em especial atraindo colaboradores das empresas, através de protocolos entre a ESAV com as Empresas de modo a que estas beneficiem com a vinda dos alunos, através de projetos comuns que possam ser lançados e que os alunos sejam os elos de ligação. Usar algumas empresas como modelo para lançar um desafio desta natureza;

c) Divulgar o concurso dos Maiores de 23 anos por todos os alunos da ESAV para divulgarem junto de amigos e familiares.

d) Divulgar o concurso em locais como o IEFP, em órgãos de comunicação regionais, de uma forma criativa, inovadora e estimulante;

e) Estudar benefícios económicos que possam ser atrativos para a captação de candidatos e para os que cá estão terminarem as suas formações.

Esperemos que algumas destas ideias possam vir a ser implementadas pela Direção da ESAV, uma vez que não me posso atravessar em nome da instituição, apenas posso estimular.....




quinta-feira, 15 de fevereiro de 2018

Dados simples mas interessantes sobre os Maiores de 23 anos...

...para que a ESAV e o IPV pudessem lançar um plano de incentivos para que os alunos > 23 anos possam concluir os seus cursos e serem um exemplo na região e no Pais. Não estamos a falar de facilitar, estamos a falar de apoios sob os mais diversos aspetos. E então se forem ver caso a caso, aluno a aluno, vão perceber que essas medidas poderiam ser fundamentais para propalar o bom nome da ESAV. Vão-me dizer que já o fizeram ou estão a fazer, e....eu fico muito mais descansado!