sexta-feira, 25 de maio de 2018

To follow up...





O mel é um anti-alérgico para o pólen,....e as fragrâncias...



A alergia ao pólen é um problema que afecta um elevado número de pessoas no mundo todo, com sintomas que incluem rinite alérgica (febre do feno), conjuntivite alérgica, espirros, asma, congestão nasal, olhos avermelhados, tosse, irritação na garganta,... Os sintomas são uma resposta do sistema imunológico, que produz histamina como mecanismo de defesa para diversos microrganismos.  O melhor modo para se tratar uma alergia ao pólen é com anti-histamínicos. Existem diversos remédios anti-alérgicos disponíveis mas muitos deles apresentam efeitos colaterais. Que tal experimentar um anti-histamínico natural para aliviar a alergia com a menor quantidade de efeitos indesejados possível?

Para isso...usemos mel da flora, mas da flora da nossa região. 
Em relação às fragrâncias, depois falaremos acerca das funcionalidades que podem desempenhar...se forem bem pensadas e criadas...

quarta-feira, 23 de maio de 2018

Adaptação Urbana do Património Arbóreo...que dizer...


A cidade pode e deve adaptar-se  ao seu património urbano, seja aquele secular que tem assistido a todas as "mutações" da urbe seja o mais recente que se planta todos os dias. Pelo urbano entende-se o património edificado e as infra-estruturas, muitas delas subterrâneas, que não sendo visíveis condicionam de forma determinante o vigor do património arbóreo.  Mas também a população, o "povo na urbe", que na realidade é quem dá vida e interliga,  cria redes e matizes entre os mais diversos elementos da polis. Para além das questões ambientais acrescem-se as questões culturais que "cimentam" lógicas e que podem ser determinantes para que as pessoas "adoptem" as árvores como parte do eu de cada um. Bem sei que hoje a identidade das árvores tem sido desvalorizada  com o abate maciço que temos vindo a assistir, num autêntico atentado ao ambiente natural e cultural de que nos iremos arrepender daqui a poucos anos. Já não bastava o abate das árvores queimadas, ainda temos que levar com o abate daquelas que, na sua grande maioria, nos podiam proteger!


Quantas vezes podemos dar o benefício da dúvida...


https://universogemini.wordpress.com/2017/02/13/as-above-so-below/

...tenho dúvidas que haja um limite definido, embora haja um bom senso. As estratégias podem ser várias, sendo que a mais comum é a mudança do interlocutor para percebermos que desta vez é que será. Já vamos no terceiro e os interlocutores estão a acabar, sendo que se está a subir de categoria no ranking, aumentando também, aparentemente, o peso da responsabilidade e da capacidade de decisão "política". Veremos onde vamos desta vez, sendo que o meu prazo já foi delineado. Se não acreditamos não necessitamos fazer fretes e cada um seguirá o seu caminho e eu deixarei de ter o peso da responsabilidade. O que se pode ter perdido nem temos a noção, porque acabamos por nunca colocar nada em prática.

terça-feira, 22 de maio de 2018

Extrato liofilizado para aplicações múltiplas....

um oxidado outro não, como os verdadeiros chás...agora é só aplicá-los!

SUNEight....após um primeiro SUNset para ensaiar....

...depois de haver tantos "Sun7" em tantos lugares, ...sugiro que subamos um patamar!


Se não nos provarmos em Mangualde, Nelas, Penalva do Castelo, Viseu,...


http://www.elmgreengolfclub.ie/Joomla25/index.php/notices/409-handicaps-how-they-work

....Beja, Évora, Faro, Cáceres, ....o que é que vamos fazer para o outro lado do mundo?
Eu não tenho vergonha de "ir para fora cá dentro", mas ao menos que as ajudas de custo dêem para isso, .... a não ser que seja para irmos.... buscar alunos? Mas se olharem com atenção, às vezes,  eles estão bem mais perto do que julgam e os estágios também! No desporto como na ciência há o ranking que coloca uns no topo e outros em baixo. No golf denomina-se "handicap"...mas não se preocupem significa o mesmo, e cada um tem os seu...